segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Bastardos Inglórios(EUA, 2009)

por Tahiane


Ao recriar um fato histórico e mostrá-lo sob uma ótica bastante particular, sem deixar de usar a clássica “violência”, Tarantino mostrou todo o seu potencial como diretor: "Bastardos Inglórios"(EUA, 2009) é sim um filme violento, porém, exibe menos violência do que se esperava, já que seu criador é assumidamente tarado por sangue (Cães de Aluguel, Kill Bill, Pulp Fiction...).

O personagem de Brad Pitt, Aldo Rey, é o clássico americano bronco, aliás, o filme todo gira em torno dos estereótipos (a francesa blasé, o alemão engomadinho, o militar bronco do interior...) que Tarantino utiliza muito bem e não é prejudicado por isso. E como todo pai tem um filho preferido, nem todos os personagens são clichês. É que dizem as más línguas que Tarantino deu atenção demais ao personagem de Christoph Waltz, o coronel da SS Hans Landa, “o matador de judeus”. Realmente Waltz rouba a cena, com um personagem bastante trabalhado. Landa é imprevisível, inteligente, e por isso se destaca dos outros personagens, ele é tão esperto que desperta um certa simpatia na gente.

O filme mostra o lado cinéfilo do diretor, que faz a toda hora referências aos seus filmes preferidos, nesse podemos notar referências a novelle vague francesa e aos filmes de western ( Aldo Rey é claramente inspirado nos personagens de John Wayne), por exemplo. Tarantino mostra que é uma colcha de retalhos ao, provavelmente, num surto de confiança, inserir características pop em um filme de época (ele nomeou alguns capítulos usando uma fonte moderna de uma amarelo vibrante), isso pode causar uma certa estranheza em alguns, mas também não compromete a obra.

É um grande filme das ultimas duas décadas. Vale à pena assistir, se você não exige fidelidade aos fatos, por que neste filme a intenção não é contar “a história” e sim contar “uma boa história”. É diferente de tudo o que o diretor já fez, mas as armas são as mesmas. Não é um filme que discute nada, apenas mostra como Quentin queria que fosse. Ele é apenas um garoto que mudou o fim da história. Eu adorei.

Sinopse:

Durante a Segunda Guerra Mundial, grupo de soldados americanos judeus é conhecido como "The Basterds" (os bastardos). São eles os responsáveis por espalhar o medo e o terror no Terceiro Reich, escalpelar e assassinar brutalmente os nazistas. É nesse ambiente que eles cruzam o caminho de uma jovem judia que tem um cinema em Paris e é alvo dos soldados.

Bastardos Inglórios

País de Origem: EUA / Alemanha
Gênero: Ação
Tempo de Duração: 153 minutos
Ano de Lançamento: 2009
Estréia no Brasil: 09/10/2009
Site Oficial: http://www.inglouriousbasterds-movi e.com
Elenco:Brad Pitt, Mélanie Laurent, Christoph Waltz, Eli Roth, Michael Fassbender, Diane Kruger, Daniel Brühl, Til Schweiger, Gedeon Burkhard, Jacky Ido, B.J. Novak, Omar Doom, August Diehl, Denis Menochet
Direção: Quentin Tarantino


6 comentários:

Popeye disse...

Arrivederci!!

Popeye disse...

Eu adorei esse filme! Um dos melhores do ano, serviu pra fechar o ano com chave de ouro.
O Tarantino foge um pouco da violência estrema que eu estava acostumado (foge UM POUCO, a violência ainda está lá) em seus filmes, mas não decepciona em nada.
Temos ótimos atores! O Brad Pitt como o Aldo Rey ficou muito bom! Eu ri demais na cena que ele se passa por um Italiano na premier do Cinema. O cara que interpreta o Coronel da SS, Hans Landa, se saiu muito bem também.
Os diálogos do filme, bem extensos em algumas partes, em nada se tornam maçantes e nos mostram que o Tarantino manda muito bem.
Recomendo que o vejam o mais rápido possível!

Arrivederci!!

nina rizzi disse...

Tahiane,

Acabo de ler que vc virá a Canoa Quebrada em janeiro. Trate de me avisar, vamos botar lua e estrela em terra, digo, areia! Eita revoada!

Beijo.

Jansen Baracho disse...

"River Derchi", hehehehe

Francisco Sobreira disse...

Tahiane,
Obrigado pela visita ao Luzes da Cidade. Embora curta, achei bem interessante a sua resenha sobre "Bastardos Inglórios", que ainda não vi. Como o filme é cheio de homenagens e citações, talvez esse personagem Aldo Rey seja uma referência ao ator Aldo Ray (com "a" ), um coadjuvante que apareceu com frequência em filmes na década de 1950. Um abraço.

Tales j. maia disse...

cara, sem comparação, tarantino se supera a cada novo filme...
um dos melhores do ano p mim !

layout por WART :]